Dengue: A Epidemia Atual Enfrentada pelo Brasil

A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e atualmente o Brasil enfrenta uma epidemia preocupante. Com o aumento dos casos em várias regiões do país, é essencial informar a população sobre os riscos, métodos de prevenção e cuidados necessários para combater a disseminação dessa doença.


O Brasil enfrenta uma das piores epidemias de dengue de sua história, com mais de 524 mil casos registrados até meados de fevereiro de 2024. Esse número representa um aumento alarmante de 122% em relação ao mesmo período do ano passado. A situação é preocupante, exigindo medidas imediatas de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Dados Atuais da Epidemia no Brasil

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrou um aumento significativo nos casos de dengue em 2024. Em comparação com o ano anterior, houve um crescimento de 40% no número de infecções, com mais de 1 milhão de casos notificados até maio de 2024. As regiões Centro-Oeste e Sudeste são as mais afetadas, apresentando a maior incidência de casos.

  • Mais de 524 mil casos registrados até meados de fevereiro de 2024: Um aumento de 122% em relação ao mesmo período de 2023.
  • Estados mais afetados: São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e Goiás.
  • Grupos de risco: Crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas.
  • Letalidade: Aproximadamente 0,2%, com aumento do risco em casos graves.

Eis o número de mortes por Estado:
Paraná – 14,
Minas Gerais – 11;
Distrito Federal – 10;
São Paulo – 6;
Goiás – 6
Santa Catarina – 5;
Rio de Janeiro – 3;
Rio Grande do Sul – 2;
Mato Grosso – 2;
Amapá – 1;
Bahia – 1;
Espírito Santo – 1.

Eis o top 10 de mais casos de dengue em 2024:
Minas Gerais – 143.876,
São Paulo – 63.033;
Distrito Federal – 49.915;
Paraná – 44.614;
Rio de Janeiro – 12.439;
Goiás – 24.604;
Espírito Santo – 12.439;
Santa Catarina – 8.629.
Amazonas – 4.771;
Acre – 4.640.

Embora tenha menos casos em números totais, o Distrito Federal tem o maior coeficiente de incidência para cada 100 mil habitantes do país: 1.771,9. O 2º lugar, Minas Gerais, tem coeficiente de incidência de 700,5. Acre, Paraná e Goiás aparecem na sequência.

Sobre o Mosquito Aedes aegypti

  • Características: Mosquito preto com listras brancas.
  • Hábitos: Pica durante o dia, principalmente nas primeiras horas da manhã e no final da tarde.
  • Locais de reprodução: Água parada em recipientes como pneus, latas, garrafas e caixas d’água mal tampadas.
Dengue, zika, chikungunya, Mayaro, Yellow fever mosquito (aedes aegypti)

O Aedes aegypti é um mosquito de hábitos diurnos, conhecido por sua capacidade de transmitir não só a dengue, mas também outras arboviroses como zika e chikungunya. Ele se reproduz em locais com água parada, como pneus, vasos de plantas, garrafas e recipientes mal armazenados. Suas características principais incluem listras brancas e pretas no corpo e nas patas.

Sintomas da Dengue

Os sintomas da dengue podem variar de leves a graves e incluem:

  • Febre alta súbita
  • Dor de cabeça intensa
  • Dor atrás dos olhos
  • Dores musculares e nas articulações
  • Náuseas e vômitos
  • Manchas vermelhas na pele

Em casos graves, pode ocorrer a dengue hemorrágica, que causa sangramentos, queda da pressão arterial e pode ser fatal se não tratada a tempo.

Prevenção

A prevenção da dengue envolve principalmente o combate ao mosquito transmissor. Algumas medidas essenciais incluem:

  • Eliminar recipientes que possam acumular água parada.
  • Utilizar telas em janelas e portas para evitar a entrada de mosquitos.
  • Aplicar repelentes com DEET, IR3535 ou icaridina nas partes expostas do corpo.
  • Eliminar criadouros: Remover todos os recipientes que podem acumular água parada. Manter caixas d’água bem fechadas.
  • Limpar calhas e ralos regularmente.
  • Participar de campanhas de conscientização e ações comunitárias para eliminar criadouros do mosquito.
  • Vestir roupas claras e compridas: Cobrir pernas e braços durante o dia.
  • Instalar telas em portas e janelas: Impedir a entrada do mosquito em casa.Manter caixas d’água tampadas: Evitar o acúmulo de água parada nas caixas d’água.

Tratamento e Recuperação

Não existe um tratamento específico para a dengue, sendo os cuidados voltados para o alívio dos sintomas:

  • Hidratação: Beber bastante água e outros líquidos para evitar a desidratação intensiva é fundamental.
  • Uso de medicamentos para aliviar a febre e a dor, como paracetamol (evitar aspirina e anti-inflamatórios, que podem agravar o quadro).
  • Repouso: É fundamental descansar bastante.
  • Medicamentos: Tomar medicamentos para aliviar os sintomas, como paracetamol e dipirona.
  • Atendimento médico: Procurar atendimento médico em caso de febre alta, dor abdominal intensa, vômitos persistentes ou sangramentos.
  • Em casos graves, o paciente deve ser hospitalizado para receber cuidados médicos adequados

A recuperação depende da gravidade da infecção e da resposta individual do paciente ao tratamento. Em média, a recuperação completa pode levar de uma a duas semanas, com acompanhamento médico para evitar complicações.

Vacina contra Dengue:

  • Disponível no SUS: A vacina tetravalente contra dengue (dengue 1, 2, 3 e 4) foi incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS) em dezembro de 2023.
  • Quem pode tomar: Pessoas com 9 a 49 anos que residem em áreas com circulação do vírus da dengue.
  • Como tomar: A vacina é aplicada em duas doses, com intervalo de 6 meses entre elas.

Conclusão

A epidemia de dengue no Brasil é uma questão de saúde pública que exige a colaboração de todos. A conscientização sobre os métodos de prevenção e o combate aos criadouros do Aedes aegypti são fundamentais para controlar a disseminação da doença. Informar-se e tomar medidas preventivas pode salvar vidas e ajudar a comunidade a enfrentar essa crise de saúde com mais eficiência.

Para mais informações e atualizações sobre a dengue, visite regularmente nosso portal FocusCosmus. Juntos, podemos combater essa epidemia!