A Gravidade é uma Lei ou uma Teoria?

Esse artigo é direcionando principalmente àqueles que tem um olhar satírico tal como “isto é apenas uma teoria”, ou que, equivocadamente, não diferenciam uma teoria de uma Lei, cientificamente falando, e/ou até mesmo desmerecem ou colocam em um patamar inferior, quaisquer ideias científicas tidas como “teorias”, tal como a Evolução.

A Gravidade é uma Lei ou uma Teoria?

A Gravidade é uma Lei ou uma Teoria?

Para tentar entender isso, vamos partir de uma experiência simples
– Um objeto a caindo.
Ok, pegue um objeto que não quebre (de preferência) coloque uma almofada no chão (pra garantir que não vai ter problemas com sua mãe!), coloque-o na sua frente e o solte. O que acontece? Ele cai, é claro. A atração gravitacional entre a Terra e o objeto puxa-o para o chão. Mas, quando fazemos esta experiência, deveríamos estar falando sobre a Lei da Gravidade ou a Teoria da Gravidade?
Na verdade, deveríamos estar falando sobre ambos. Para entender o porquê, precisamos entender o significado científico da expressão “lei ” e “teoria”.
Na linguagem científica, a palavra “lei” descreve uma declaração analítica. Isso nos dá uma formulação matemática que nos diz como as coisas vão funcionar. Por exemplo, a Lei da Gravitação Universal de Newton nos diz que “Cada ponto de massa atrai cada único ponto de massa por uma força que aponta ao longo da linha de interseção entre ambos os pontos. A força é diretamente proporcional ao produto das duas massas e inversamente proporcional ao quadrado da a distância entre os pontos de massa “. Essa fórmula nos permitirá calcular a força gravitacional entre a Terra e o objeto que caiu, entre o Sol e Marte, ou entre eu e um livro.
Podemos usar a Lei da Gravitação Universal de Newton para calcular o quão forte a atração gravitacional é entre a Terra e o objeto que caiu, como vamos calcular sua aceleração à medida que cai, quanto tempo vai demorar para atingir o chão, o quão rápido iria ser o impacto, a quantidade de energia de energia vai ser gasta, etc.
Embora a lei nos permita calcular um pouco sobre o que acontece, perceba que ela não nos diz nada sobre por que isso aconteceu. Isso é o que faz as teorias são pararem quietas! Na linguagem da ciência, a palavra “teoria” é usada para descrever uma explicação de por que e como as coisas acontecem. Na gravidade, usamos Teoria da Relatividade Geral de Einsteinpara explicar por que as coisas caem. Mas, mesmo cheia de lacunas, a gravidade é uma Teoria Científica.
Uma teoria começa como uma ou mais hipóteses, idéias não testadas sobre por que algo acontece. Por exemplo, eu poderia propor uma hipótese de que o objeto que você lançou caiu porque foi puxado pelo campo magnético da Terra. Assim que começamos a testar, não leva muito tempo para descobrir que a minha hipótese não foi apoiada pela evidência. Objetos não-magnéticos caem na mesma proporção que objetos magnéticos. Uma vez não sustentada pela evidência, a minha hipótese  cai por terra e não ganha o status de ser uma teoria. Para tornar-se uma teoria científica, uma ideia deve ser exaustivamente testada, e deve ser uma descrição precisa e preditiva do mundo natural.
Outro equívoco grotesco é que, a gravidade é frequentemente ensinada nas escolas como um fato absoluto, quando na verdade não  tem uma boa sustentação teórica que explica o fenômeno sem fugir do senso comum. Nas escolas, muitas vezes também ensinam sobre a famosa maça que cai na cabeça do gênio e repentinamente ele “descobre” a gravidade, como um passe de mágica, mas isso não vem ao caso! Ademais, o caráter “Universal” da Lei de Newton aplica-se à corpos grandes e não ao mundo microscópico, embora Newton já conhecesse a interação entre os átomos, nos tempos de Teoria das Cordas, Universos Subatômicos, Branas e Multiversos, o termo Universal é bem mais amplo do que nos tempos de Newton.  Além disso, você passa anos sabendo que a gravidade é uma força, porém, mais tarde, aprende na faculdade ou na pós graduação que essa força não existe, quando vista a partir da Teoria da Relatividade Geral.
 
Enquanto as leis raramente mudam, as teorias mudam com frequência como novos elementos sejam descobertos. Em vez de descartadas devido a novos elementos de prova, as teorias são muitas vezes revistas para incluir as novas provas em sua explicação. A Teoria da Relatividade Geral se adaptou como as novas tecnologias e os novos dados expandindo a nossa visão do universo.
Outra coisa que confunde muitas vezes são os termos gravitação e gravidade. Veja: Gravitação está para leis matemáticas assim como gravidade está para o fenômeno que ainda foge do nosso senso comum quando tentamos explicá-lo.
A ciência ainda está buscando as lacunas que estão faltando para explicar o fenômeno da gravidade usando os hipotéticos “gravitons” e as recentes pesquisas espaciais das “ondas gravitacionais” e na tentativa da Teoria de Tudo (que descreve a gravidade em pequenas escalas, unindo a Gravitação com a Mecânica Quântica) que podem dar mais sustentação teórica à gravidade.
Então, quando estamos discutindo cientificamente  gravidade, podemos falar sobre a lei matemática que descreve a atração entre dois objetos, e também podemos falar sobre a teoria que descreve por que os objetos se atraem.
 
Esta entrada foi publicada em Física, Física Clássica. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta