A Probabilidade de vida extraterrestre em 500 bilhões de galáxias

A Probabilidade de vida extraterrestre em 500 bilhões de galáxias

A Probabilidade de vida extraterrestre em 500 bilhões de galáxias

Carl Sagan disse que “afirmações extraordinárias exigem provas extraordinárias.” Em uma exibição impressionante da lógica matemática vs senso comum, David Spiegel, da Universidade de Princeton e Edwin Turner, da Universidade de Tóquio publicaram um artigo em 2012 que transforma a equação de Drake de cabeça para baixo usando o raciocínio Bayesian para mostrar que nao e só porque nós evoluímos na Terra, que significa que a mesma ocorrência poderia necessariamente acontecer em outros lugares; “usando a evidência de nossa própria existência não mostra nada”, dizem eles, “diferente do fato de estarmos aqui.”

As recentes descobertas do telescópio Spacial Kepler de planetas semelhantes à Terra em tamanho e proximidade com seus respectivos sóis provocaram entusiasmo científico e público sobre a possibilidade de também encontrar vida semelhante a da Terra nesses mundos.
Mas os pesquisadores da Universidade de Princeton descobriram que a expectativa de que a vida – das bactérias aos seres sencientes – tem ou vai se desenvolver em outros planetas como na Terra pode ter sido baseado mais no otimismo do que a evidência científica.

Professor de ciências Astrophysical Turner e principal autor Spiegel analisaram o que se sabe sobre a probabilidade de vida em outros planetas, em um esforço para separar os fatos da mera expectativa de que existe vida fora da Terra. Os pesquisadores usaram uma análise Bayesiana – que pesa o quanto de uma conclusão científica resulta de dados reais e quanto vem dos pressupostos anteriores dos cientistas – para determinar a probabilidade de vida extraterrestre uma vez que a influência desses pressupostos é minimizado.

Esta entrada foi publicada em Astrobiologia, Astrofísica, Astronomia, Biologia, Cosmologia, Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta