Estudo revela que asteroide que matou dinossauros “ferveu” a Terra

Um estudo publicado no Journal of the Geological Society na última semana aponta que o asteroide responsável por extinguir os dinossauros da face da Terra, 65 milhões de anos atrás, teve efeito devastador não só para esses animais. Seu impacto simplesmente “ferveu” toda a atmosfera da terra, fazendo com que entre 60% e 80% das espécies vivas à época desaparecessem completamente.

Esse é o planeta Terra pouco antes de ser atingido pelo asteroide (Reprodução)

Esse é o planeta Terra pouco antes de ser atingido pelo asteroide (Reprodução)

Ainda assim, algumas plantas sobreviveram e puderam ajudar na reestruturação da atmosfera totalmente modificada pelo impacto. A queda do asteroide aconteceu no final do período Cretáceo, marcado justamente pela dominação da Terra pelos dinossauros. O asteroide responsável por tamanha mudança na atmosfera terrestre teria caído onde hoje está o México. Foi no local, mais especificamente na província de Yucatán, que foram encontrados os primeiros vestígios do corpo celeste.

Para se ter noção do impacto do asteroide em questão, especialistas afirmam que seu poder foi equivalente a mais de um bilhão de bombas de Hiroshima explodindo no mesmo momento. Após pesquisas que duram desde a década de 1980, cientistas chegaram à conclusão de que o corpo celestial responsável pela extinção dos dinossauros possuía um diâmetro de mais de 10km.

Com o aumento da temperatura em escala gigantesca, a Terra teve o formato da distribuição de seus continentes bastante alterada. Diversos rios e lagos desapareceram e deram formato ao planeta de forma mais parecida como a que conhecemos atualmente.

Esta entrada foi publicada em História, Notícias, Paleontologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta