Militar que matou Bin Laden revelará sua identidade na televisão

O militar da unidade de elite da Marinha dos Estados Unidos que matou o líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, revelará sua identidade em um documentário que será exibido em novembro no canal Fox, anunciou na quarta-feira a emissora.

O documentário de duas horas de duração, intitulado “O homem que matou Osama bin Laden” será mostrado em duas partes, nos dias 11 e 12 de novembro, e inclui uma entrevista com o militar, explicou a Fox em comunicado .

O militar fez parte do comando especial dos Navy Seals que executou a operação para eliminar o terrorista em Abbottabad, no Paquistão.

A Fox afirmou que explicará detalhes da operação no documentário, como foram os últimos minutos de Bin Laden e o papel do militar no comando especial.

Além disso, a emissora mostrará imagens até agora inéditas da cerimônia do último aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001 no Museu da Memória de Nova York, na qual o militar que matou Bin Laden doou a camisa que usou durante a missão.

As ações dos Navy Seals não costumam ser divulgadas e as identidades de seus membros são mantidas em segredo e somente são divulgadas quando um deles morre, mas sem detalhar as circunstâncias reais da morte, por razões de segurança.

No entanto, esta não será a primeira vez que a Fox identifica um dos membros do comando que matou Bin Laden.

Em 2012, a emissora revelou a identidade de Matt Bissonnette, de 36 anos, já reformado e autor do livro “No Easy Day: The Firsthand Account of the Mission That Killed Osama bin Laden” (Não Há Dia Fácil: relatos em primeira mão da missão que matou Osama bin Laden, tradução livre), que assinou sob o pseudônimo de Mark Owen.

Bin Laden morreu na noite de 1º para 2 de maio de 2011, depois de ser considerado procurado pelos Estados Unidos por mais de uma década.
110503_storybl_f_001

Os Estados Unidos sempre focaram as buscas a Osama bin Laden nas regiões remotas da fronteira entre Afeganistão e Paquistão, área de atuação da milícia Taleban

110503_storybl_f_003

 

 

Pelo menos desde agosto de 2010, porém, a CIA obteve indícios fortes de que o líder da Al Qaeda estava morando em uma mansão fortificada em Abbottabad (a 100 km de Islamabad), cidade sede da principal academia militar do Paquistão, e passou a monitorar o local, segundo fontes oficiais norte-americanas

110503_storybl_f_002

A mansão, avaliada em US$ 1 milhão e localizada a cerca de 800 metros da academia militar, é cercada por muros de 4,5 metros, revestidos de arame farpado, que impediam a observação do interior, informou a CIA

De acordo com fontes oficiais dos EUA, por volta de 0h30 do domingo (horário local), 20 homens da Seal (força especial da Marinha norte-americana), orientados pela CIA e autorizados pelo presidente dos EUA, Barack Obama, chegaram em helicópteros e desceram à mansão em cordas e foram recebidos por tiros
110503_storybl_f_004

Há divergências sobre o número de helicópteros, que seriam entre dois e quatro. Um dos helicópteros caiu após ser atingido ou depois de apresentar problemas mecânicos e foi explodido pelos Seals}
110503_storybl_f_005

Bin Laden foi morto com um tiro após resistir, segundo informações de autoridades dos EUA. Além do saudita, três homens foram mortos na ação, que durou cerca de 40 minutos. Uma mulher foi atingida na perna. Nenhum dos militares ficou ferido
110503_storybl_f_006

A mansão ficou em chamas após a ação. Um vídeo filmado no local horas depois do ocorrido mostra a casa completamente bagunçada e com várias marcas de sangue, além de um buraco enorme na parede

110503_storybl_f_007

O corpo de Bin Laden foi levado por um dos helicópteros e jogado no Mar da Arábia, após ter sido velado de acordo com os preceitos islâmicos, segundo a versão relatada pela Casa Branca

110503_storybl_f_008

 

Esta entrada foi publicada em Notícias, Politica. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta