NASA revela designs do que pode ser a primeira nave a viajar usando dobra do espaco-tempo

A NASA anunciou em 2012 que estava trabalhando na construção de uma nave que poderia permitir viajar “usando dobra do espaco-tempo”. Dois anos depois e a agência espacial ainda não desenvolveu a tecnologia capaz de atingir tais velocidades ainda, mas, graças ao artista Mark Rademaker, agora sabemos como ela pode ser no futuro.
Conheça a IXS Enterprise, uma espaçonave que compartilha semelhanças tanto com a ficção científica de Star Trek e alguns ônibus espaciais reais da NASA:

NASA revela designs do que pode ser a primeira nave a viajar “mais rápido que a luz”

NASA revela designs do que pode ser a primeira nave a viajar “mais rápido que a luz”

Rademaker trabalhou em conjunto com o Dr. Harold White, da NASA, para produzir conceitos visuais da nave. White e sua equipe estão esperando tornar viagens “mais rápidas do que a luz” possíveis com unidades Alcubierre. As unidades, nomeadas em homenagem ao físico Miguel Alcubierre, teoricamente trabalham com a distorção do espaço-tempo. Ao expandir o espaço atrás de uma nave e contraí-lo na frente da mesma, a IXS Enterprise pode aumentar drasticamente o potencial de viagens espaciais, fazendo uma que, geralmente é de 4,3 anos-luz, para a Alpha Centauri em cerca de duas semanas.

NASA revela designs do que pode ser a primeira nave a viajar “mais rápido que a luz”

NASA revela designs do que pode ser a primeira nave a viajar “mais rápido que a luz”

Rademaker diz que foi influenciado por obras de ficção científica de Matt Jefferies, da década de 1960. Mas enquanto Jeffries, que ajudou a criar as naves espaciais do universo original de Star Trek, imaginou espaços com anéis finos, a IXS Enterprise fica dentro de dois grandes círculos para alimentarem sua unidade Alcubierre.
Mas, até a NASA anunciar uma descoberta em sua investigação de unidades Alcubierre e na tecnologia de viagem “mais rápida do que a luz”, os conceitos de Rademaker permanecerão apenas conceitos.

Esta entrada foi publicada em Astronáutica, Astronomia, Física, Física Quântica, Relatividade. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta