Nasa trabalha em “Waze” para ser usado em Marte

Se você tiver um celular e acesso à internet, é praticamente impossível se perder em boa parte do planeta Terra atualmente. Luxo há alguns anos, a navegação GPS se popularizou de tal maneira que ferramentas de mapas, como Google Maps e Waze, se tornaram essenciais no cotidiano de boa parte das pessoas.

Nasa trabalha em "Waze" para ser usado em Marte.

Nasa trabalha em “Waze” para ser usado em Marte.

Mas e se elas quiserem se localizar fora do nosso planeta? Como saber qual o caminho correto para ir da cratera “A” até a cratera “B” na Lua, por exemplo?

Para resolver esse “problema”, a Nasa, em parceria com a Intel, trabalha na construção de um sistema de navegação que possa ser utilizado em outros lugares do universo.

Para começar, ele não poderia ser chamado de GPS. Isso, porque, a sigla se refere à “sistema de posicionamento global” e, bem, esse guia espacial não usaria satélites na órbita da Terra (ou de outro planeta) para determinar a sua posição e sugerir uma rota.

É aqui que entra o uso da inteligência artificial. A meta dos pesquisadores é usar essa tecnologia para criar um sistema que seja capaz de identificar, por meio de fotos, qualquer lugar da superfície de um planeta ou satélite com a Lua.

O sistema, em questão, seria uma espécie de banco de dados de fotografias que, uma vez analisadas, criariam um modelo virtual do corpo celeste.

Com esse modelo formado, caberia a inteligência artificial analisar a posição de quem procura informações de localização – a consulta dos interessados se daria por meio de uma foto enviada ao sistema – e determinar a melhor rota para se chegar ao local desejado.

Para testar a eficácia do sistema, os pesquisadores “criaram” uma Lua, abastecendo a inteligência artificial com 2,4 milhões de imagens de um corpo celeste hipotético. Esse material teria sido o suficiente para permitir que se navegasse pela superfície dessa Lua.

O próximo passo da equipe é utilizar imagens reais de Marte para criar o mesmo banco de dados e permitir que a sua superfície seja mapeada a ponto do sistema de navegação ser capaz de dar orientações para quem quiser se locomover pelo planeta.

Se tudo der certo, é bastante provável que os primeiros humanos a pisarem no planeta vermelho terão meios de se locomover sabendo exatamente como e para onde estão indo.

Leave A Reply

%d blogueiros gostam disto: