Nasa usa astronautas gêmeos para estudar gravidade no corpo humano

Os astronautas gêmeos Scott e Mark Kelly estão prontos para participar de uma experiência inédita da Nasa. Scott embarca nesta sexta-feira (27) para a Estação Espacial Internacional (ISS), onde vai ficar por um ano, submetido à gravidade zero. Mark, que já é aposentado, vai ficar aqui na Terra, como grupo de controle. Os dois serão acompanhados por pesquisadores até o fim da experiência. O objetivo é analisar o efeito da gravidade zero e de voos espaciais no corpo e na mente do ser humano.

Nasa usa astronautas gêmeos para estudar gravidade no corpo humano

Nasa usa astronautas gêmeos para estudar gravidade no corpo humano


Scott Kelly, 50, será o primeiro norte-americano a ficar tanto tempo em órbita ao lado do russo Mikhail Kornienko que também vai passar um ano na ISS. Eles só voltam em março de 2016. Este estudo servirá como preparação para que a Nasa possa mandar humanos cada vez mais longe. Os norte-americanos têm em mente as viagens à Marte.

Porém o experimento não é perfeito. Mark não irá se alimentar com a comida espacial que o irmão estará comendo e também não terá a mesma rotina. Scott Kelly disse à agência AFP estar preocupado com o efeito das radiações e da microgravidade, e também porque a estadia prolongada afeta o sistema imunológico, reduz a densidade óssea e atrofia os músculos. A falta de gravidade também afeta a visão. “Espero que isto não seja muito difícil e que possamos continuar vivendo e trabalhando no espaço durante períodos mais longos”, disse.

Também serão feitos exames genéticos para determinar a forma como um voo prolongado ao espaço pode afetar o organismo, afirmou Julie Robinson, uma das cientistas responsáveis pelo programa, também à agência AFP.

Robinson afirmou ainda que a agência espacial russa havia colocado à disposição todos os dados coletados durante as missões humanas de longa duração no espaço na estação Mir.

“Com a ISS vamos descobrir se os exercícios físicos intensivos durante as estadias orbitais são eficazes para proteger os astronautas”, explicou a cientista.

Assim como em suas estadias anteriores a bordo da ISS, Scott Kelly vai passar uma parte de seu tempo lendo e vendo jogos de basquete e hóquei na televisão. Além disso, ele tem a intenção de levar um diário onde vai registrar suas experiências e impressões. Kelly disse que sentirá muita falta de sua família. É divorciado e tem dois filhos.

Esta entrada foi publicada em Astrofísica, Astronáutica, Astronomia, Biologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta