Nasa vai usar bloco extraído de asteroide para treinar missões a Mart

Nave vai extrair grande bloco de asteroide e lançá-lo ao redor da Lua. Bloco vai se transformar em destino de treinamento para futuras missões.

Representação artística mostra astronauta preso pelo pé preparando-se para observar bloco de asteroide (Foto: Asteroid Initiative/Nasa)

Representação artística mostra astronauta preso pelo pé preparando-se para observar bloco de asteroide (Foto: Asteroid Initiative/Nasa)

Uma nave-robô da Nasa vai extrair um grande bloco rochoso de um asteroide e lançá-lo ao redor da Lua, para que se transforme em um destino de treinamento para futuras missões a Marte, disse a agência espacial norte-americana nesta quarta-feira (25).
A chamada Missão de Redirecionamento de Asteróide tem um custo estimado de 1,25 bilhão de dólares, não incluindo gastos com o lançamento, e está prevista para ter início em dezembro de 2020. A missão seria seguida cinco anos depois por uma expedição tripulada até a rocha espacial, numa variante de um plano proposto pelo presidente dos EUA, Barack Obama, em 2010.

 

Concepção artística mostra veículo leva bloco de asteroide para órbita ao redor da Lua (Foto: Asteroid Initiative/Nasa)

Concepção artística mostra veículo leva bloco de asteroide para órbita ao redor da Lua (Foto: Asteroid Initiative/Nasa)

A Nasa também considerou capturar um asteroide menor e arrastar todo o corpo celeste para a órbita da Lua, mas após extensos estudos, a agência optou por extrair e deslocar um bloco de rocha, implicando em um custo de 100 milhões de dólares maior. A justificativa é que isso proporciona uma melhor preparação para a meta final da agência, de pousar astronautas em Marte.
“São coisas do tipo que sabemos que vamos precisar quando formos a outro corpo planetário”, disse o diretor associado da Nasa, Robert Lightfoot, a jornalistas em uma teleconferência.

Em ilustração, bloco de asteroide é capturado pela nave para ser, em seguida, colocado em órbita ao redor da Lua (Foto: Asteroid Initiative/Nasa)

Em ilustração, bloco de asteroide é capturado pela nave para ser, em seguida, colocado em órbita ao redor da Lua (Foto: Asteroid Initiative/Nasa)

A Nasa planeja estudar o asteroide por cerca de um ano e testar técnicas para desviá-lo que um dia podem ser usadas para salvar a Terra de uma potencial colisão catastrófica.
Um asteróide ou cometa atingiu o planeta há cerca de 65 milhões de anos, provocando mudanças climáticas que causaram o desaparecimento dos dinossauros e da maioria da vida que havia na Terra.
Até agora, a Nasa escolheu três asteroides para a missão, mas espera tomar a decisão final de qual abordar somente em 2019.

Esta entrada foi publicada em Astronáutica, Astronomia, Tecnologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta