O mistério dos super-raios cósmicos

Raios cósmicos de energia ultra-alta vêm de fora da nossa galáxia, revela estudo.

ACELERADOR CÓSMICO
O acelerador de partículas mais poderoso do mundo é o europeu LHC. Ele acelera prótons a altíssimas velocidades e então os faz colidir, para estudar os estilhaços do encontro — um sem-número de partículas de todo tipo. O mistério dos super-raios cósmicosEste é o supra-sumo da nossa tecnologia atual, mas também é uma brincadeira de criança perto do que o Universo é capaz de fazer. Em nossa atmosfera, vindas do espaço exterior, chegam partículas com energia mais de 1 milhão de vezes a envolvida nas colisões do LHC. São os raios cósmicos de energia ultra-alta, e agora nós descobrimos de onde eles vêm.

DE FORA
Em um trabalho que levou 12 anos para ser concluído, um grupo internacional de pesquisadores, com participação brasileira, descobriu que esses super-raios cósmicos são gerados além da nossa galáxia, ou seja, no espaço extragaláctico — a milhões de anos-luz da Terra.

OS TANQUES
O resultado, publicado na revista “Science”, representa o sucesso do Observatório Pierre Auger, a maior instalação de detecção de raios cósmicos do mundo. Localizado em Mendoza, na Argentina, ele tem 1.600 detectores, cada um deles um tanque com 12 toneladas de água, onde se espera flagrar o encontro fortuito dessas partículas de alta energia.

A CHUVA
Para determinarem que os raios cósmicos são extragalácticos, os pesquisadores registraram cerca de 30 mil eventos individuais no Auger. Se eles fossem da nossa galáxia, haveria uma distribuição preferencial das detecções, compatível com o alinhamento do disco da Via Láctea. Contudo, o que se viu foi uma distribuição mais ou menos uniforme, em todas as direções.

O XIS
Trata-se de um resultado importante, mas só o começo da decifração de um mistério bem maior. Afinal, uma coisa é saber de onde eles vêm, outra é dizer como são gerados. Será que são produto de quasares  — núcleos ativos de galáxias –, acelerando matéria quase à velocidade da luz? Será que têm relação com o decaimento de partículas de matéria escura? São perguntas que seguem sem resposta.

Astronomia: O mistério dos super-raios cósmicos

Esta entrada foi publicada em Astrofísica, Astronomia, Atualidades, Cosmologia, Notícias, Tecnologia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta